You are not logged in.

#26 2018-05-23 18:23:14

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Aureo Fetter wrote:
ftrebien wrote:

Objetivo ou não, qual seria a sua real motivação pra eliminar esses segmentos?

Não acho que deva ser visto como uma eliminação de segmentos, apenas rebaixar a classificação para primary onde não se encaixa como trunk, nem tudo é trunk

Me expressei mal. Quis dizer que eliminaríamos do conjunto que estamos considerando o das rodovias principais, o da discussão atual.

Aureo Fetter wrote:

e segmentos menos utilizados como Santana do Livramento-Quaraí, Bagé-Aceguá e Osório - São José do Norte não se encaixam como trunk, a meu ver.

Hm, Bagé - Aceguá faz parte da rota Santa Cruz do Sul - Bagé - Montevidéu.

Osório - São José do Norte é interessante. Existe uma balsa entre São José do Norte e Rio Grande. Se aceitarmos trajetos por balsa, o trecho Osório - Rio Grande fica 92 km mais curto (22% menor). Google Maps e Here.com ambos indicam que esse trajeto também costuma ser o mais rápido. Consequentemente, também fica mais rápida e mais curta a rota Rio de Janeiro - São Paulo - Curitiba - Joinville - Florianópolis - Criciúma - Rio Grande.

Aureo Fetter wrote:
ftrebien wrote:

Mas isso pode ser problemático porque levaria as pessoas a crerem que o melhor seria fazer voltas bem maiores pra realizar certos trajetos longos.

Não creio que isso possa fazer alguém mudar de rota, uma primary é sempre uma boa opção de rota, já uma secondary pode não ser.

O Flávio (fbello), bem como outros que estão preocupados com o funcionamento dos seus GPSs, defende que procuremos respeitar a expectativa do GPS de calcular rotas que passem por níveis crescentes e depois decrescentes de classificação ao longo das rotas entre origens e destinos quaisquer. Embora isso seja quase impossível de satisfazer matematicamente em todos os casos, em geral se espera que esteja assim pras rotas mais longas. Daí se estiverem faltando esses segmentos, os GPSs que usarem a hierarquia como heurística vão recomendar algumas rotas dando voltas longas desnecessárias, e os que não usarem como heurística vão produzir rotas com classificação que oscila ao longo da rota (ao invés do padrão esperado crescente próximo à origem e decrescente próximo ao destino).

Offline

#27 2018-05-23 18:28:05

muralito
Member
Registered: 2012-09-04
Posts: 1,895

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Aureo Fetter wrote:
muralito wrote:

BR / RSC-471 de Quinta ao Chuí não deve ser trunk, é bastante estreita, de baixa velocidade, atravessa áreas com probabilidade de colidir com fauna autóctone, é claramente de uma categoria inferior a BR-116 de Pelotas a Jaguarao.

Ela é conectada a RN9, no Uruguay, que é trunk, e muitos que vão a Punta del Este e Montevidéo preferem essa rota do que a de Jaguarão.
E discordo da baixa velocidade, é apenas em alguns pontos bem específicos, é uma via que todos os que trafegam nela andam normalmente a 100km/h (isso quando não excedem essa velocidade).

Pode ser, mas teríamos que confirmar que a razão para usar esta rota é a mesma rota, e não ir a Chuy e comprar nas free shops.

Há alguns meses, quando usei pela última vez, a vegetação estava no limite do asfalto. Não há espaço para manobras em caso de imprevistos, como animais pulando no asfalto (não há como vê-los antes) ou motoristas imprudentes.

Offline

#28 2018-05-23 19:04:24

Aureo Fetter
Member
Registered: 2018-05-17
Posts: 21

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

ftrebien wrote:

melhor rota entre Bagé e Uruguaiana

O tráfego entre as duas cidades é significativo? Uma das duas cidades serve de referência para outra? Porto Alegre é referência para as duas por ser capital, ou seja, o trânsito entre essas cidades e a capital é relevante, mas entre elas o trânsito é relevante?
Vejo estas duas cidades como muito distantes para por si só justificarem um trunk entre elas, mesmo que ambas tenham população de mais de 100 mil hab, e também não é um trecho de ligação relevante a nível internacional.

Offline

#29 2018-05-23 19:06:03

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

ftrebien wrote:
santamariense wrote:
ftrebien wrote:

O fator de escala na projeção de Mercator é calculado pela fórmula (...)

Eu não entendi a que ponto tu quisestes chegar. Estás falando  de distorções cartográficas?

O que você pediu (uma estatística da densidade viária da malha trunk) é algo bem difícil de confeccionar, por isso eu elenquei exemplos que podem ser observados facilmente no mapa do OSM. Mas no mesmo nível de ampliação, a projeção de Mercator produz escalas diferentes conforme a latitude, por isso é necessário citar o fator de escala ao usar o site do OSM pra comparar lugares diferentes no planeta. Se você quiser, pode tirar um print screen do mapa, jogar num editor de imagens, e aplicar o escalamento inverso (ex.: 80% para um mapa que está com fator de escala de 125%) pra produzir mapas comparáveis na mesma escala.

Uma alternativa é usar o KDE Marble pra explorar o mapa do OSM. Só precisa verificar se a altitude está igual nos lugares observados.

Fiz um álbum com capturas das regiões que eu citei antes vistas no Marble a 218 km de altitude, todas com a mesma escala e a menor distorção possível (projeção paralela a partir da esfera do planeta com centro no meio da área observada).

Offline

#30 2018-05-23 19:13:49

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Aureo Fetter wrote:
ftrebien wrote:

melhor rota entre Bagé e Uruguaiana

O tráfego entre as duas cidades é significativo?

Depende do que consideraremos significativo. Você está argumentando então a favor da classificação conforme o volume de tráfego médio? Certamente a rua residencial onde eu moro tem mais tráfego médio do que muitas rodovias importantes, e tem vias residenciais em Porto Alegre com bem mais tráfego.

Aureo Fetter wrote:

Uma das duas cidades serve de referência para outra? Porto Alegre é referência para as duas por ser capital, ou seja, o trânsito entre essas cidades e a capital é relevante, mas entre elas o trânsito é relevante?
Vejo estas duas cidades como muito distantes para por si só justificarem um trunk entre elas, mesmo que ambas tenham população de mais de 100 mil hab, e também não é um trecho de ligação relevante a nível internacional.

Bem poucas BRs são relevantes a nível internacional. O wiki diz que as trunks são as estradas (incluindo as pavimentadas, que chamamos de rodovias no Brasil) mais importantes no sistema de um país que não são motorways. Se você for selecionar somente as que têm relevância internacional, ficará de fora do sistema trunk a maior parte das rodovias federais.

Last edited by ftrebien (2018-05-23 19:15:35)

Offline

#31 2018-05-24 13:06:43

fbello
Member
Registered: 2014-07-09
Posts: 87

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Estou tentando agrupar critérios lógicos e objetivos para determinar as rotas mais importantes. Até agora, consegui reunir os seguintes, com base na discussão:

1. As cidades com mais de 100 mil habitantes devem estar conectadas entre si, formando uma malha inicial.

2. Os principais pontos de fronteira devem estar conectados com a malha.

3. Algumas cidades estão conurbadas (ou quase) com outras, formando um aglomerado com população significativa, que deve estar conectado à malha.

4. Algumas cidades altamente turísticas têm uma população efetiva (ainda que transiente) bem maior do que a população oficialmente registrada, e isso deve ser levado em consideração (no RS, esses locais são, basicamente, o litoral norte e Gramado-Canela).

5. Os centros regionais de importância (a maior cidade da região) devem estar conectados à malha, ainda que não atinjam a população de 100 mil. Creio que um corte de 50 mil seja adequado, nesse caso. Isso incluiria, por exemplo, Ijuí e Santa Rosa.

Algum outro critério objetivo para incluir na lista?

Offline

#32 2018-05-24 13:45:36

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Só para registro aqui também:
Fazendo uma comparação visual como a do Fernando, só simples, colocando numa imagem só os mapas abaixo para visualizar mais imediato (+/- tá bem na escala).

O que se percebe numa simples olhada:
-Na Inglaterra, tirando as motorway, se vê um certo excesso de trunks, até 1 cada 20x20km (somando motorway + trunk na grande Londres, aí dá muito excesso mesmo, 1 cada 5x5km, acho exagero).
-França aparece mais normal, só aparecem mais as motorway (que já são as mais importantes, equivalente a trunk "especial")

Mas tirando o que possam ser exemplos de excessos, significa que a gente no RS (e Brasil) poderia com tranquilidade ter mais trunks mesmo.

Então acho que dá pra tomar o último esquema do Fernando (por população etc), nem precisa fazer corte nenhum (como pensei em sugerir), já estaria bom assim mesmo como tá, a princípio geral.
Todas aquelas no RS poderiam ser trunk mesmo (ficando primary somente aquelas que se achar que tem que deixar de fora, tipo as que "atrapalhem" roteamento.).

Mesmo assim ficaríamos longe do exagero da inglaterra de 1 trunk cada 20km. (Que neste caso não faz diferença ser uma país com mais expressão econômica: 1trunk cada 20km é demais mesmo. Mas isto é com os ingleses. Pra nós acho que serve pra ver que não teríamos excesso).

Ou seja, já ficaria num nível bom.
Eu acho.

SXZvl8T.png

Offline

#33 2018-05-24 14:48:10

fbello
Member
Registered: 2014-07-09
Posts: 87

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Eu acho que tem que ter critério. Só encher de trunk para o mapa ficar bonitinho não tem sentido. A Inglaterra é um exagero. A França está correta, mas olha a densidade populacional. A França tem 67 milhões de habitantes em 644 mil km² (104/km²). O RS tem 11 milhões em 282 mil km² (40/km²). Ou seja, a densidade populacional da França é 2,6 vezes a do Rio Grande do Sul. Espera-se que a densidade de estradas também seja maior. Se pegar o PIB, o da França é US$2465 bi (US$3829 mil/km²), e o do RS é US$55 bi (US$195 mil/km²). O da França é quase 20 vezes o do RS por km², o que significa que sobra bem mais dinheiro para investir em estradas. Se ponderar esses valores, dá para ter uma ideia de por quê é normal que a França tenha mais trunk que o Rio Grande do Sul.

Offline

#34 2018-05-24 15:15:31

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

4. Algumas cidades altamente turísticas têm uma população efetiva (ainda que transiente) bem maior do que a população oficialmente registrada, e isso deve ser levado em consideração (no RS, esses locais são, basicamente, o litoral norte e Gramado-Canela).

Eu tenho um pouco de receio em relação a essa ideia porque no OSM nós evitamos mapear fenômenos transientes. Mas entendo que regiões turísticas têm um movimento periódico, previsível, e provavelmente mensurável (podemos obter estatísticas pra afirmar que cidade X ou Y atrai tanta gente no inverno ou no verão ou no Natal ao ponto de ser comparável com city), então talvez não seja um problema. O mesmo argumento pode se aplicar a outros pontos importantes, como portos e aeroportos.

Seguindo a ideia de que trunk conecta city e primary por extensão conectaria town, todo o litoral norte e a região de Gramado-Canela já estariam cobertos pela malha primary. Gramado e Canela, bem como a ERS-239 (que eu sei que você quer incluir porque é duplicada) têm vias concedidas/pedagiadas, que pode ter relação com essa outra ideia.

Com os outros 4 pontos eu concordo, sem dúvidas.

Last edited by ftrebien (2018-05-24 16:52:35)

Offline

#35 2018-05-24 15:28:43

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

Espera-se que a densidade de estradas também seja maior. Se pegar o PIB, o da França é US$2465 bi (US$3829 mil/km²), e o do RS é US$55 bi (US$195 mil/km²). O da França é quase 20 vezes o do RS por km², o que significa que sobra bem mais dinheiro para investir em estradas. Se ponderar esses valores, dá para ter uma ideia de por quê é normal que a França tenha mais trunk que o Rio Grande do Sul.

Como você explica a densidade de trunks no Peru e na Argentina, então? Ou, dentro da Europa, de países como Espanha, Polônia, România?

Eu acho que, se for olhar pelo lado do PIB, vamos acabar apagando do mapa todos os países mais pobres. Daí só vão sobrar cidades desconectadas. No OSM, esse é o caso do Congo, mas dê uma olhada na Nigéria. Aqui eu já estou comparando com lugares onde o HOT pode ter chegado ou não, mas dê uma olhada nos mapas comerciais nessas regiões.

A densidade populacional é um fator que contribui pra densidade, mas tem outros dois: a distribuição da população (mais urbana, ou mais rural) e a distribuição espacial dos centros urbanos (mais concentrado em poucas cidades grandes como na França, ou menos concentrado em várias cidades de porte médio como nos Estados Unidos).

Last edited by ftrebien (2018-05-24 15:35:01)

Offline

#36 2018-05-24 18:11:51

Aureo Fetter
Member
Registered: 2018-05-17
Posts: 21

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

ftrebien wrote:

Google Maps e Here.com ambos indicam que esse trajeto também costuma ser o mais rápido.

Que é a rota mais curta não há dúvidas, mas mais rápida vai depender do horário que você chega na balsa, isso se não perder a balsa ou ela já estiver lotada e ter que esperar até a próxima balsa, que pode ser só no dia seguinte dependendo do horário que você chegar, pra considerar a balsa devemos acrescentar no mínimo 30 min de travessia, fora embarque e desembarque.
A balsa é sempre um problema, por isso eu não colocaria esse trecho da 101 como trunk, outro problema é a conservação da estrada entre Mostardas e Palmares do Sul. Mas, se houvesse um túnel (como já houve um projeto uma vez) ou ponte, seria sem dúvida de importância maior que a 116.
No entanto hoje não acho que ela representa ser uma trunk, apenas primary, é importante, mas não tanto.

Offline

#37 2018-05-24 18:22:39

Aureo Fetter
Member
Registered: 2018-05-17
Posts: 21

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

4. Algumas cidades altamente turísticas têm uma população efetiva (ainda que transiente) bem maior do que a população oficialmente registrada, e isso deve ser levado em consideração (no RS, esses locais são, basicamente, o litoral norte e Gramado-Canela).

Gramado tem 35 mil hab e Canela tem 42, somados passam de 77 mil habitantes, se formos considerar a população de Três Coroas (que também é rota turística), 26 mil hab, temos somados mais de 100 mil habitantes, nesse caso a 115 seria trunk pelos critérios antes apresentados.
Mesmo assim 77 mil habitantes mais a população de turistas já seria argumento suficiente para mim para que seja classificada como trunk.

Offline

#38 2018-05-24 18:58:44

fbello
Member
Registered: 2014-07-09
Posts: 87

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

ftrebien wrote:

Eu acho que, se for olhar pelo lado do PIB, vamos acabar apagando do mapa todos os países mais pobres. Daí só vão sobrar cidades desconectadas. No OSM, esse é o caso do Congo, mas dê uma olhada na Nigéria. Aqui eu já estou comparando com lugares onde o HOT pode ter chegado ou não, mas dê uma olhada nos mapas comerciais nessas regiões.

Cidades conectadas por primary não estão "desconectadas". Não precisa ser trunk para ter conexão.

ftrebien wrote:

A densidade populacional é um fator que contribui pra densidade, mas tem outros dois: a distribuição da população (mais urbana, ou mais rural) e a distribuição espacial dos centros urbanos (mais concentrado em poucas cidades grandes como na França, ou menos concentrado em várias cidades de porte médio como nos Estados Unidos).

A população da França é bem distribuída. Paris tem mais gente (Porto Alegre também) e há uma distribuição razoável entre as demais cidades, assim como no RS. Só que 2,6 vezes mais.

Offline

#39 2018-05-24 20:15:33

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

Cidades conectadas por primary não estão "desconectadas". Não precisa ser trunk para ter conexão.

Até onde você aceita essa ideia? Uma conexão por highway=unclassified serve para considerar conectada?

fbello wrote:

A população da França é bem distribuída. Paris tem mais gente (Porto Alegre também) e há uma distribuição razoável entre as demais cidades, assim como no RS. Só que 2,6 vezes mais.

france-population-density-map.jpg
Fonte (outra fonte)

densidade-demografica.jpg
Fonte

Last edited by ftrebien (2018-05-24 20:16:11)

Offline

#40 2018-05-25 01:07:29

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Flavio, acho que ainda há problemas em ter claro o conceito de trunk e highways em geral.

A questão das trunk, e da hierarquia das highway em geral, é a questão da importância.

E importância "dentro" da rede de "1" país.
Não comparando a importância entre países.
Muito menos comparar PIB entre países.
Aí não dá pé.

A questão da importância, pra ser objetiva, tamos procurando os critérios.
Já temos:
-População, esta parece bem objetiva, talvez venha a ser o critério de maior peso.

Outros critérios que levantamos:
-Volume de tráfego; 
-volume econômico de bens trafegados (essa mais difícil)

PS: Gramado/Canela e similares não consigo ver como trunk, um trecho tão curto, e cheio de ligações. Apenas primary duplicada.

Senão as Av Ipiranga, Bento Gonçalves, Sertorio, etc,  de Porto Alegre, tem que ser trunk, porque pistas duplicadas e separadas fisicamente. E maior tráfego e comprimento.

Offline

#41 2018-05-25 01:10:01

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Bento Gonçalves talvez seja trunk mesmo, pela ERS

Offline

#42 2018-05-25 01:35:33

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

Eu acho que tem que ter critério. Só encher de trunk para o mapa ficar bonitinho não tem sentido.

Não entendi o que você tá vendo.
Alguém aqui pensa que não tenha que ter critério, ou que é pra encher de trunk, ou pra ficar bonitinho?

Ficar proporcional, sim.
E visualizar comparando os mapas é um meio.
Pelo menos olhando os mapas se vê mais claramente onde tem desproporção.
Critérios tamos buscando.
Não ter exatamente os seus critérios não é não ter critério.
Pelo seu critério nem precisava ter trunk nas top BR e todo mundo que achava que tinha que ter trunk tava errado.
Então tamos trabalhando na coisa buscando critérios pra o que enxergamos intuitivamente como desproporção.

Offline

#43 2018-05-25 13:24:41

fbello
Member
Registered: 2014-07-09
Posts: 87

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Só comparei densidade populacional e PIB porque estavam comparando Brasil e França e sabe-se lá aonde isso ia chegar. Eu também acho que temos que ter os nossos critérios. Só não acho que tem que ser tudo trunk. Se tudo é importante, nada é importante. Trunk tem que ser só as mais importantes. Quanto a ser duplicada, a minha preocupação é classificar uma rodovia duplicada como primary e uma rodovia simples como trunk ao mesmo tempo, o que não faz sentido se as duas levam ao mesmo lugar. Especificamente no caso da BR-116, a rota alternativa (que felizmente o grupo concordou que é melhor) da ERS-240/ERS-122 é plana, reta e duplicada em boa parte de sua extensão, enquanto a BR-116 é simples, cheia de curvas e com muito mais aclives e declives. A ERS-239 que é duplicada e liga Novo Hamburgo a Taquara (passando por várias cidades) também deve ser trunk, por motivos semelhantes. Geralmente, quando se duplica uma rodovia é porque ela é importante o suficiente para isso. Quanto à ligação Gramado-Canela, concordo que ela pode ser primary, devido a ser um trajeto curto.

Fernando, é óbvio que unclassified não deve servir de base para conexões, mas primary sim. Trunk em rodovias simples deve ser limitada às de importância nacional (as principais ligações entre o RS e o resto do Brasil, ou com Montevideo e Buenos Aires), como a BR-116 (ou trechos alternativos), a BR-290 e a BR-153. Já a BR-101 de Osório a São José do Norte é importante para o estado e deve ser primary, mas não há por que ser trunk.

Offline

#44 2018-05-25 13:53:50

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

fbello wrote:

sabe-se lá aonde isso ia chegar

Veja bem, eu concordo com você que as densidades das malhas devem ser comparadas.

fbello wrote:

Eu também acho que temos que ter os nossos critérios. Só não acho que tem que ser tudo trunk. Se tudo é importante, nada é importante. Trunk tem que ser só as mais importantes.

Você me acusou de iniciar um tópico tendencioso, mas percebo que você vem martelando essa ideia (que é absurda) de que não temos critério (você mesmo concluiu o contrário) e que de repente tudo virou trunk, e ambos são obviamente mentiras. Uma leitura honesta do início da thread deve deixar isso claro aos outros leitores. A lista de exclusões lá é quase maior do que a de inclusões. Dos 8490 km de rodovias federais ou coincidentes no RS, apenas 6071 km (72%) foram incluídos no conjunto das importantes, ou seja, quase um terço ficou de fora. Essa sua postura não ajuda o debate, apenas o distorce.

fbello wrote:

Quanto a ser duplicada, a minha preocupação é classificar uma rodovia duplicada como primary e uma rodovia simples como trunk ao mesmo tempo, o que não faz sentido se as duas levam ao mesmo lugar.

Como você defende critérios claros, o ponto chave pra mim é a segunda parte da sua afirmação: se as duas levam ao mesmo lugar. Mas nessa situação, acho que os nossos critérios atuais automaticamente selecionariam a rota duplicada, por ser o melhor caminho. Ainda assim, a duplicação não é o único fator. Uma rodovia multi-faixas (pista simples) e limite de velocidade alto geralmente é mais interessante do que uma duplicada com limite de velocidade reduzido que atravessa várias áreas urbanas. Você defende que essa conexão é importante pelo turismo (é o que parece) e sugere uma aglomeração (Gramado + Canela) que soma 78 mil habitantes. É quase um quarto abaixo do limiar pra place=city. Embora a inclusão de outras cidades com população similar não faria diferença no nosso esquema atual, a inclusão dessas duas sim me parece arbitrária. Por que 78 mil então, e não 57 mil, que incluiria Taquara e que então finalmente levaria à inclusão da ERS-239 no conjunto?

Mesmo que isso não se aplique à ERS-239, tem que estar claro qual é o motivo fundamental pra classificar de um ou de outro jeito. A ERS-239 seria escolhida como caminho pra muitas rotas mesmo que não seja trunk por causa da sua geometria aproximadamente linear, por ser o caminho mais curto em relação às vias próximas com velocidade similar. Se o turismo fizer diferença pra essa via, temos que pensar se não faz pra outras também, por exemplo, para quem vem do norte pela BR-101 e chega pela RSC-453. Se formos olhar pros concorrentes, Here.com e Google Maps dão destaque a essas vias e mais um trecho da ERS-020, apesar da sua estrutura similar a das demais rodovias. Notavelmente, é uma via pedagiada, mas isso não faz diferença na classificação de outras vias similares nesses dois sistemas.

fbello wrote:

Geralmente, quando se duplica uma rodovia é porque ela é importante o suficiente para isso.

Quando há retorno financeiro e há tráfego intenso. Mas se esse for o critério, então temos que classificar primariamente pelo volume de tráfego, ignorando outros fatores. As outras comunidades estão classificando pensando em quais vias são de passagem (throughfares), o que é um conceito um pouco diferente (e que veio da classificação da Inglaterra e foi aplicado em lugares diversos como Alemanha e Estados Unidos).

Last edited by ftrebien (2018-05-26 14:21:14)

Offline

#45 2018-05-28 13:37:50

Aureo Fetter
Member
Registered: 2018-05-17
Posts: 21

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

ftrebien wrote:

Você defende que essa conexão é importante pelo turismo (é o que parece) e sugere uma aglomeração (Gramado + Canela) que soma 78 mil habitantes. É quase um quarto abaixo do limiar pra place=city. Embora a inclusão de outras cidades com população similar não faria diferença no nosso esquema atual, a inclusão dessas duas sim me parece arbitrária. Por que 78 mil então, e não 57 mil, que incluiria Taquara e que então finalmente levaria à inclusão da ERS-239 no conjunto?

Acho que apenas o eixo Gramado-Canela por si só não é trunk, mas temos sim que considerar a quantidade de tráfego a mais devido aos turistas e somar as cidades de Três Coroas e Igrejinha, o que deixaria a 239 até Taquara e a 115 até Gramado (ou apenas até Três Coroas) na categoria trunk, mas discordo da 235 ser trunk em qualquer das hipóteses.

Offline

#46 2018-05-28 23:53:59

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Pessoal, pensando no esforço em se tentar harmonizar rede de BRs com as estaduais, "níveis mais altos da classificação viária no RS",  e todas as dificuldades que surgem, pensei o seguinte.

Estamos tentando harmonizar uma rede nacional numa esfera local, sem ter uma outra referência mais abrangente.

Me parece que nos falta justamente a referência da rede nacional.
Pra marcar os limites de topo nas rodovias do país.

Até agora viemos discutindo:
-ou na comunidade do Brasil todo, um esquema de classificação geral pra "todas as 6 classes" (com a grande variedade da realidade, mais forte sobretudo nas classes mais baixas);
-ou, como nós aqui no RS, tentando harmonizar uma rede nacional numa esfera local, em grande parte do andamento presos a considerar o que já existe na esfera local, e sem ter uma outra referência mais abrangente (exemplo: tais e tais BRs não podem ser trunk porque tem uma local/estadual que não deveria permitir; ou problema local/particular de roteamento).

Me parece que o princípio do foco, ser nacional + local, gera muito conflito.

Proposta:
-focar "primeiro" em acertar a referência das BRs, nacional; ter uma referência das estradas de topo do país todo;
-sem levar em conta as escalas locais (deixar em suspenso); ou se aparecer conflito, aí se vê se é o caso de tradar destas exceções;
-só as BRs, todas as BRs.

Com isso também se foca só nas 3 ou 4 classes de topo.

Postei no thread das 5 BRs, com possibilidade de passar pra um tópico específico, já que aquele chegou num momento de estagnação, pelo próprio foco talvez ter sido mesmo muito parcial:

https://forum.openstreetmap.org/viewtop … 60#p701160

Offline

#47 2018-05-29 02:19:54

santamariense
Moderator
Registered: 2015-08-26
Posts: 117

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

smaprs wrote:

-focar "primeiro" em acertar a referência das BRs, nacional; ter uma referência das estradas de topo do país todo;
-sem levar em conta as escalas locais (deixar em suspenso); ou se aparecer conflito, aí se vê se é o caso de tradar destas exceções;
-só as BRs, todas as BRs.

O problema é que a nível nacional o pessoal já está saturado de discussão. Não adianta a gente esperar que todo o país vai chegar a um acordo. O pessoal de modo geral tá tão saturado que parecem nem se dar ao trabalho de ler as postagens. Porém a nível estadual o pessoal parece estar mais aberto ao diálogo, e portanto, diante disso, eu sou favorável a continuarmos com a reclassificação se chegarmos a um acordo local. Quando a nível nacional, o pessoal estiver aberto ao diálogo, em havendo desacordo com a forma que for mapeada essa ou aquela rodovia no RS, a gente discute aquelas específicas a nível nacional.

Offline

#48 2018-05-29 03:48:08

smaprs
Member
From: Brazil/RS
Registered: 2017-08-10
Posts: 62

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Claro, nada impede continuar com o trabalho no estado.

Offline

#49 2018-05-29 14:29:15

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

No RS, temos 5 participantes ativos nesse tópico, ou seja, 5 cabeças pensando juntas sobre o assunto. Mas são 5 cabeças pensando sobre o contexto local apenas. Não sei se tem tantas em outro estado nesse momento. Se juntar todas acho que dá umas 15 no máximo. Talvez o RS esteja super representado na discussão, o que faria o pessoal dos outros estados sentir que queremos impor a nossa realidade sobre a deles.

Last edited by ftrebien (2018-05-29 14:31:01)

Offline

#50 2018-05-29 14:50:11

ftrebien
Member
From: Porto Alegre, Brazil
Registered: 2013-05-18
Posts: 887

Re: [RS] Níveis mais altos da classificação viária no RS

Só pra avisar que isto não foi esquecido, mas só vou ter tempo de atualizar o esboço no final da semana.

smaprs wrote:

RjjkjCX.png

Aureo Fetter wrote:
ftrebien wrote:

melhor rota entre Bagé e Uruguaiana

O tráfego entre as duas cidades é significativo? Uma das duas cidades serve de referência para outra? Porto Alegre é referência para as duas por ser capital, ou seja, o trânsito entre essas cidades e a capital é relevante, mas entre elas o trânsito é relevante?
Vejo estas duas cidades como muito distantes para por si só justificarem um trunk entre elas, mesmo que ambas tenham população de mais de 100 mil hab, e também não é um trecho de ligação relevante a nível internacional.

Não sei se já temos uma boa justificativa. Tráfego leve faria com que outras BRs ficassem de fora e tráfego intenso faria com que algumas que não incluímos fossem incluídas, incluindo diversas rodovias estaduais próximas da região metropolitana. E como constatamos via Telegram no Uruguai (páginas 13 e 27), classificação e volume de tráfego nem sempre andam juntos.

Last edited by ftrebien (2018-05-29 15:10:09)

Offline

Board footer

Powered by FluxBB